Adeus, Windows XP!

O Windows XP, da Microsoft, está chegando ao fim do prazo limite de suporte (10 anos), e muitos profissionais de TI que ainda utilizam este Sistema Operacional, já estão começando a “se coçar”. Mais »

O que é Aquariofilia?

O aquarismo, assim como o paisagismo, é uma atividade que combina uma demanda por senso estético e conhecimentos técnicos diversos, como biologia básica (ciclo do nitrogênio), química básica (pH) e outros. Mais »

Vapt Vupt!

No Vapt Vupt! de hoje, vamos falar do reader/writer da Sony. Digital Paper, pode deixar alguns gadgets como o kindle, por exemplo, pensando em mudar algumas coisas... Mais »

Álbum da Semana

Toda semana vou postar um álbum que ouvi e gostei, seja ele descoberto (sem querer), por indicação de algum amigo etc. Mais »

 

[Vapt Vupt] Vamos falar do PULPino ?

<meta property=”og:url” content=”http://giancristoforo.com.br/wp/wp-content/uploads/2016/04/Pulp_logo_icon.png”>

Pulp_logo_icon

Agora sim ! Mais um item importantíssimo no mundo Hardware Open Source e IoT !
A plataforma do PULPino se difere um pouco dos demais (Rasp. PI, Arduino, Galileo etc), pois até, eu disse, ATÉ suas rotinas são open !

Os engenheiros da ETH Zurich, em parceria com a Universidade de Bologna, desenvolveram e disponibilizaram para a comunidade Hardware OpenSource, toda a arquitetura e código do processador PULPino (Parallel Ultra Low Power), visando melhorar ainda mais o conceito de Internet das Coisas. O processador é baseado na arquitetura RISC-V, que tem como envolvidos a Massachusetts Institute Technology (MIT).

Saiba mais sobre o projeto em http://www.pulp-platform.org
Conheça mais sobre o RISC-Vhttp://riscv.org/

Por: Carlos Roberto Giancristóforo.

[Aquário] Afinal, meu aquário pode ser um foco de dengue?

 

Aedes-aegypti-mosquito

Aedes Aegypti (nome cientifico do mosquito da Dengue) sofreu mutações, está forte e em vários estágios preocupando a ANS, Nações, Estados e até os envolvidos nos jogos olímpicos no Rio de Janeiro.

Hoje, o que mais vemos são as propagandas, incentivos e apelos por todas as partes para evitar a proliferação do mosquito, evitando deixar água parada, e redobrando a atenção em caso de uma dor aqui ou ali.

Mas, deixando tudo o que já  sabemos de lado, será que o meu aquário, que fica na minha sala, num corredor de acesso, ou ate mesmo no hall de entrada do meu apartamento pode ser um grande concentrador de larvas e mosquitos em potencial?

Depois da proliferação mais acentuada (nos últimos meses), ouvi essa pergunta de algumas pessoas, e com razão, afinal, é uma boa pergunta!

Qual o ciclo de vida do mosquito?

Assim como muitos insetos, o Aedes Aegypti bota seus ovos na água limpa sem muita correnteza, que vira larva na eclosão dos ovos, com seu crescimento, o próximo estagio é a pupa e assim, após este estágio, ele já é um mosquito adulto, este ciclo dura em media 10 dias, conforme imagem:

dengue2

O fato importante é saber se o nosso aquário pode ser propicio para este tipo de ciclo, ou seja, se o mosquito consegue passar por todos os procedimentos, usando nosso aquário.

Meu aquário pode ser um hospedeiro?

A resposta é: NÃO!
Mesmo sendo uma beteira, que possui água parada?
A resposta é: SIM!

Explico:

No caso da beteira, o principal parceiro é justamente o beta! Ele, assim como algumas outras espécies (guppys, tricogasters etc), tem como parte de sua dieta larvas de mosquito! Lógico que a maioria dos criadores (geralmente iniciantes) que possuem betas, não os alimentam assim, mas, se uma larvinha estiver dando sopa ali, com certeza será eliminada!

Outro fato importante, é que no próprio procedimento de limpeza da beteira, faz você interromper o avanço do mosquito, pois precisa limpar o aquário mais periodicamente, assim como relato no texto neste link.

Portanto, pode ficar tranqüilo que seu aquário não esta apto a ser um hospedeiro da dengue!

Deixo aqui apenas um adendo:
Aquaristas que possuem SUMP, é importante analisarem apenas se todas as etapas possuem uma boa fluidez de água, pois, se em algum estagio o mesmo possuir uma fraca movimentação de água, você pode tratar da seguinte maneira:

  • Intensificar o ciclo de filtragem colocando uma bomba mais forte;
  • Redimensionar seu SUMP, visando aproveitá-lo melhor;
  • Se você possui um SUMP grande, e percebe que mesmo com as etapas acima ainda não esta confiante, coloque pequenos peixes como guppys, paulistinhas pra ajudar nessa faxina;

Com exceção ao filtro SUMP, pode ficar tranqüilo e continuar curtindo seu aquário numa boa !!

 

Bibliografia:

Aedes: https://pt.wikipedia.org/wiki/Aedes_aegypt
Beta: https://pt.wikipedia.org/wiki/Betta_splendens
Guppy: https://pt.wikipedia.org/wiki/Guppy
SUMP: http://giancristoforo.com.br/wp/2014/05/17/qual-filtro-utilizar/

[TI] Pitacos : VPN/Proxy x WhatsApp

whatsapp-100

A chamada pode assustar um pouco, mas, você já parou para pensar se tudo que você acessa do computador, smartphone etc., está 100% seguro?

Tirando como exemplo o ocorrido no mês de dezembro/2015, quando a 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, entrou com uma ação para retirar do ar, por 48 horas, o serviço de mensagens instantâneas WhatsApp.

Com isso, brotam ideias de usuários, micreiros*, analistas meia-boca** que “instruem” o pessoal a utilizarem meios para burlar tais serviços.

Micreiros: Geralmente são profissionais de outras áreas, acham que só pelo fato de terem formatado o computador algumas vezes, sabem tudo de Informática / TI. Vivem em blogs de tecnologia, e não sabem da metade dos termos falados em tais mídias, gostam também de acalorar quando não gostam de determinadas marcas, sabe aquela história Apple vs. Samsung, por exemplo? Pois bem, são os micreiros que incitam isso.

Analistas Meia-boca: Fazem de tudo para se aparecer, muitos até sabem o perigo que é instruir usuários com este tipo de procedimento, mas, esquecem no mesmo momento. Já cansei de ver essas pessoas entrarem em tantos termos técnicos, se confundirem, confundirem os que estavam ouvindo e por fim acabar elas por elas, ou seja, eu finjo que entendi e ele finge que explicou.

Seguindo o raciocínio, vamos à alguns cenários.

Sabemos que a internet em si já não é segura, menos ainda quando temos pontos de conexão (HOPS na linguagem técnica) que podem transformar a conexão menos segura do que já é.

Na primeira imagem, vemos o caminho que a sua conexão faz, para alcançar um determinado site.

 

whatsapp_1

No exemplo acima, o Cliente (você) solicita uma chamada de um site, através do endereço www.google.com, a operadora por sua vez, questiona esta requisição para um servidor DNS (Domain Name Server) disponível na região (Ao todo, são 13 servidores DNS espalhados pelo mundo). O DNS sai pesquisando em seus registros onde fica hospedado o tal site www.google.com. Em miúdos, é a mesma coisa que você chegar no meio de uma sala e gritar: – Quem tem o CPF número 123.123.123-12? Alguém deverá se manifestar, caso contrário alguma tratativa deverá ser tomada (Site não encontrado, Tempo Esgotado etc).

Assim que os servidores do Google percebem tal requisição, se manifestam com uma mensagem de “OK”, e passam o conteúdo solicitado pelo cliente.

Este exemplo, é o mecanismo mais simplista dos chamados Hops (saltos), não inseri todos os mecanismos, para não fugirmos do foco.

Este mundo de requisições, como o exemplo citado acima, parece funcionar muito bem, e funciona mesmo! O problema é quando envolvemos determinadas informações como senhas, informações bancarias etc. É aí que começa o perigo.

Na década de 90, um cracker (não confunda com hacker) chamado Kevin Mitnik, testou a paciência de muita gente, invadindo sistemas, se passando por outras pessoas (Engenharia Social) e chamando a atenção para o que hoje chamamos de segurança cibernética. Kevin fez muito estrago, como efetuar compras com cartões de terceiros, derrubar serviços de Telefonia e Energia dos Estados Unidos, e até mesmo, iniciar uma das mais épicas batalhas através da rede com seu rival, então administrador do parque de servidores da Universidade de San Diego – TsutomuShimomura. A partir desse momento, a segurança começou a ser aplicada em toda a rede.

Episódio WhatsApp.

Ok, sem mais delongas, vamos ao ponto.

Quando o WhatsApp ficou indisponível no Brasil, poucas horas depois, surgiram alguns posts nas redes sociais, instruindo o pessoal a utilizarem um serviço de VPN (Virtual Private Network). A VPN, estabelece uma conexão entre um ponto A e B, é um meio de conexão extremamente seguro, quando sabido que ambos os pontos são seguros, claro! Você conhece o ponto A, que é o seu computador, mas, e o ponto B?

Muitas empresas utilizam serviços de VPN, pois de fato é o meio de transmissão mais seguro que existe hoje. Mas, existem muitos procedimentos para tal conexão (troca de chaves simétricas e assimétricas, manutenção preventiva no servidor de VPN, manutenção preventiva no cliente que irá se conectar).Sendo assim, conectar-se em um serviço de VPN que desconhecemos, pode acarretar em:

No serviço de VPN:

  • Servidor pode estar infectado;
  • Servidor pode ter um serviço que coleta informações como senhas, contas bancarias etc., armazenando tudo que está passando por ele, para uso futuro;
  • Com a alta demanda de solicitações, pode chamar a atenção para ataques de todos os tipos e também ocorrer uma sobrecarga (Overload) do sistema;

Quais as desvantagens de fazer isso?

  • Com a alta procura de usuários pela conexão, o serviço ficara sobrecarregado, por ser gratuito, você não poderá reclamar de absolutamente nada;
  • Com o sistema sobrecarregado, a probabilidade da sua conexão “cair” é alta, fazendo com que tanto o WhatsApp quanto o serviço de VPN tentem se conectar novamente, com isso, a bateria e sua banda de internet (principalmente 3G/4G), sejam consumidos bem mais do que o normal;
  • Se por algum motivo seus dados vazarem, para quem você irá recorrer?

Quais as Vantagens?

  • Ficar online e conseguir falar com quem também conseguiu ficar online (menos de 10%);
  • Postar nas redes sociais, se gabando do feito (Para quem gosta de fazer isso, claro);

Existem meios paliativos?

Claro que sim! O serviço ficou off-line por 12 horas, com isso muitos migraram para o Telegram, ICQ e até mesmo para o próprio Instant Messenger do Facebook.

Alguns Cenários

Partindo agora para o lado deSegurança da Informação, elaborei dois cenários para entendermos melhor os pontos de falhas/indisponibilidade etc. da conexão entre seu celular, por exemplo, e o servidor do WhatsApp.

No primeiro cenário, vemos que o próprio servidor do WhatsApp é um forte candidato a invasões, mas, com políticas e processos que previnem o usuário quanto a isso (Patches e correções do sistema, equipe de segurança da informação, SLA, proteção quanto à vazamento de informações, Termos de Aceite etc.);

whatsApp2

 

No segundo cenário, vemos um serviço de VPN ou Proxy como intermediário, ou seja, ele receberá todas as solicitações de conexão, e fará a requisição de acordo com a solicitação do cliente. Se o cliente acessar o WhatsApp, a conexão passará pela VPN/Proxy e seguirá para o servidor WhatsApp, se o cliente solicitar uma conexão bancária, será tal servidor de VPN/Proxy que também fará tal conexão.

whatsApp3

Na imagem, vemos que o serviço assume todas as conexões com a Internet, passando as requisições correspondentes.

A indisponibilidade pode de fato ocorrer em todos os pontos de conexão, desde o cliente até o servidor requisitado, mas, temos termos de aceite da operadora (cliente), quanto nos servidores (Google, Itaú, UOLetc.) informando tais procedimentos e providencias que serão tomadas. No servidor gratuito de VPN/Proxy, não temos, pois, o mesmo é gratuito.

O servidor de VPN/Proxy, também não garante quantos usuários ele suportará, ou seja, se este está apto a receber uma média de, por exemplo, 10.000 usuários por dia, em vista que temos cerca de quase 50 milhões de usuários do WhatsApp no Brasil, se jogarmos um percentual baixíssimo de 1% de usuários tentando fazer a mesma coisa em um determinado serviço de VPN/Proxy*, teremos 500.000 usuários. Você acha que de fato isso funcionará bem?

*Lembrando que temos poucos serviços gratuitos e de qualidade desse tipo como “App”, o mais utilizado foi o BetterNet (pois teve mais disseminação nas redes).

Portanto, sempre que algum serviço estiver indisponível ou bloqueado, seja ele no escritório, cidade ou pais que você mora, não tente usar meios paliativos para burlar tal procedimento. Isso pode desencadear vários outros problemas, e com certeza te deixara com uma dor de cabeça maior ainda.

E lembrando, sempre procure algum analista de sua confiança para responder suas duvidas.

[TI] Cuidado com o TeslaCrypt (.vvv)

A19D55 COMPUTER CIRCUIT BOARD WITH BINARY CODE

Resolvi escrever de forma sucinta algo sobre este trojan, depois que meu amigo Lincoln recebeu a ligação de sua esposa, informando que todos os aquivos estavam com nomes diferentes, com final .vvv;

O TeslaCrypt pode chegar ao seu computador através do plugin Flash Player (que em breve será 100% substítuido pelo HTML5). Ele varre todos os arquivos no disco rígido, os criptografa e o renomeia para, por exemplo: [nomearquivo.docx.vvv], fazendo com que o usuário não consiga abrir o respectivo arquivo, mesmo renomeando e/ou retirando tal extensão.

Este trojan já é bem conhecido na área de TI, mas, sofreu algumas atualizações e voltou mais forte e com uma maior complexidade de ser removido.

O que fazer ?

Sempre que falamos de vírus, trojans, spywares etc, já fica aquela dor de cabeça prévia e medo de acontecer o pior, em alguns casos a remoção é tranquila, em outros, nem tanto.

Caso você não trabalha com informática, ou não tem muita familiaridade (Usa apenas para estudos, navegar na internet, ver um vídeo etc), a dica é:

  • Limpe o histórico de todos os navegadores (Google Chrome, Internet Explorer etc). Este procedimento é importantissimo neste caso, pois o Flash Player é um plugin de vídeo. Sabe aquela novela, vídeo, show que as vezes você pelo PC ? Pois bem, muitas vezes você assiste usando o Flash Player;
  • Verifique se o anti-vírus do seu computados está instalado e atualizado;
  • Tenha sempre um backup(cópia) dos arquivos que você considera mais importantes;
  • Evite enviar qualquer arquivo para um amigo ou familiar, sem antes ter certeza que a integridade do Sistema está OK;
  • Se perceber que ago esta estranho (lento, reiniciando, mensagens e alertas atípicos etc), procure um profissional de TI de sua confiança e informe tal situação. Caro ? uma consulta de um técnico em SP, por exemplo, sai por uns R$ 80,00. O que você prefere, perder todos os seus dados, ou gastar este valor ?

Caso você já tem uma boa noção ou trabalha na área:

  • Procure um bom removedor de RansonWare (SpyHunter, por exemplo);
  • Caso tal aplicativo não resolva, você pode fazer o procedimento manualmente:
  1. Mate o processo cha,ado RansonWare (ctrl + shift + esc);
  2. Entre no diretorio Roaming (%appData%/Roaming) e delete tal executável;
  3. Entre no Editor de Registro (regedit) : Iniciar > executar > regedit;
  4. Delete arquivos suspeitos em: HKEY_LOCAL_MACHINESOFTWAREMicrosoftWindowsCurrentVersionRun e HKEY_CURRENT_USER

Este procedimento é apenas para remoção do trojan.

Com a infecção e com os arquivos criptografados, é possível normalizá-los ?

Infelizmente, não. Sempre que falamos de arquivos criptografados, dificilmente conseguimos recuperá-los sem suas respectivas chaves (simétrica, assimétrica, pública, privada etc). Portanto, sempre bato nessa tecla: “FAÇA BACKUP SEMPRE QUE POSSÍVEL !”

*Este procedimento é válido somente em ambiente Microsoft Windows.

Referências:

TelasCrypt

RansomWare

Trojan (Cavalo de Tróia)

Um pouco mais sobre Vírus

 

[Aquário] Itens hilários dos Anos 90

Nesses meus 20 anos como aquarista (vale lembrar que fiquei 5 anos sem aquários, mas, participando assiduamente dos fóruns) me despertou uma vontade de colocar alguns itens que vivência em tal hobby, desde filtros até termostato com aquecedor e, sim, todos vendidos como produto de grandes marcas.

1. Termostato com Aquecedor Externo

termostado
Acredita que existia (ou ainda existe??) um termostato com uma saída que era ligada num aquecedor areia ? Sim ! Basicamente, era um termômetro que, quando em uma temperatura ajustada (igual o termostato) ligava um aquecedor. A vantagem é que você podia trocar o aquecedor caso trocasse de aquário, mas, hoje vejo isso de forma engraçada. A foto mostra uma termostato, não achei um igual, mas, considere este sem a resistência de aquecimento e com uma extensão com fio para tomadas 110/220V;

 

2. Filtro Hang On a base de compressor de ar e pedra porosa
hangON
Calma ! É isso mesmo ! Você chega na loja e, ao invés de comprar um hang on com uma moto bomba, você comprava apenas a estrutura de acrílico no mesmo formato e poderia usar seu compressor e pedra porosa para tal, a pedra porosa ficava dentro do captador de água (ponta dentro do aquário). Assim a água subia até a queda para o Hang On. Lógico, não filtrava nem 1/3 igual os caríssimos filtros do meio dos anos 90 (Um Emperor 400 por exemplo custava mais R$ 400,00 em 1996 !!), mas, era uma alternativa mais acessível para os iniciantes. Eu mesmo tive um;

3. XAXIM para acidificar a água

Acidificante ? Troncos de aroeira ? BUFFER ? Olha, BUFFER nem pensar ! Praticamente não existia aqui no Brasil (No mundo ??) até o final dos anos 90 (ou pelo menos eu praticamente não conhecia). Troncos eram complicados, pois haviam vários tabus (sujar, fungos, tronco tratado ou não, caro, tamanho ocupava muito a litragem etc). O acidificante é um tamponador, e é impossível manter um ou mais de um aquário com um tamponador ácido ou alcalino. Lembro de medir e até ver meu primo medindo PH, e caso estivesse 6.9 ao invés de 6.8, rolava aquele esguichada (Gosh !). Eis, que não sei de onde, recebi a informação de inserir XAXIM no aquário, pois, como eles tem a mesma procedência de troncos e pouca informação da minha parte, deixaria a água ácida. De fato não lembro se dava certo. Hoje, até onde sei, a venda de XAXIM é proibida.

4. Filtro Biológico de Fundo (FBF)

De cada 10 aquários, uns 8 tinham essa placa que as lojas cismavam em empurrar para nós. Hoje, se pensar, lá no fundo do seu consciente em montar um filtro assim, é vergonha alheia na lata !! Mas, eu já usei bem la no começo e, quando comecei a estudar mais à respeito parei na hora !

Vou tentar lembrar de mais alguns e vou postando. Se você souber de algum caso horrendo, deixe nos comentários, que eu agrego a lista.

[Aquário] Quanto menor melhor ?

-molinesias-02

Foto acima: Molinésia (O famoso peixinho dourado e sempre presente nos primeiros aquários…)

Uma das maiores ciladas que podemos nos deparar no mundo dos aquários é essa frase: “Vou montar um aquário, mas, quanto menor ele for, melhor…fica mais fácil de limpar…”;
Nem sempre um aquário de pequeno porte trará facilidades para o criador, muito pelo contrário, se num aquário maior e bem projetado você pode, por exemplo, ficar até duas semanas sem fazer uma TPA (Troca Parcial de Água), sifonar o fundo, limpar os elementos filtrantes, em um aquário, de por exemplo, 10 Litros, você precisaria efetuar tais manutenções de até 3 vezes por semana.

Em uma determinada época, cheguei a ter quatro aquários em casa (O menor tinha 100 Litros). Meus amigos e familiares chegavam e falavam “Meu deus, você deve ficar o dia inteiro limpando esses aquários…”, imaginando eu desmontando todos, limpando, passando peixe pra cá e pra lá…Isso eu faria se tivesse quatro carros kkkk.

E qual o tamanho ideal para começar ?

Geralmente quando pretendemos montar um aquário, a primeira dúvida que surge é o que colocar e o que criar. Ou então, como aconteceu comigo algumas vezes este ano, é o Pai ou a Mãe tentando estimular seu filho a criar algum bicho de estimação, afinal isso ajuda a criança em diversas áreas de desenvolvimento.
As vezes também, a própria criança toma partido e pede para os pais, ou então aparece com uma “beteira” ou algo do tipo que ganhou na escola ou de alguma festa do(a) amiguinho(a).

No caso dessas “heranças”, geralmente a criança, ou até mesmo nós adultos ganhamos Beta, pois não precisam de bombas e procedimentos mais elaborados (Veja o porquê disso aqui).
A dica é: Passar em uma loja e comprar, pelo menos, um aquário maior. Pois sabemos que eles sempre chegam em “beteiras” minúsculas, as vezes o animal fica estático e mal consegue se mexer.
Já que estamos na loja, vamos gastar um pouco mais e já montar o kit do primeiro aquário?

Um kit básico, envolve alguns itens primordiais para o primeiro aquário, vamos lá:

  • Aquário: No mínimo um de 40 Litros (Ex.: 30cm (Cumprimento) x 40cm (Altura) x 30cm (Largura));
  • Teste de PH;
  • Tamponador ácido ou alcalino (Acidificante – Alcalinizante)
  • Condicionadores de Água (Exemplo: AquaSafe);
  • Um pequeno Termostato (Aquecedor) para dias mais frios;
  • Um Pequeno filtro (Dica sobre filtros Aqui);
  • 5 à 7 KG de pedra de Rio;
  • Alguns enfeites são bem vindos, mas, sem exagero;

O PH é o potencial da água em ser ácida, alcalina ou neutra. Sendo assim, o teste irá auxiliar em saber como está a sua água. Isso serve para a água ser compatível com a espécie que você pretende criar. Com relação ao Beta, este vive em água neutra (pH 7.0). Neste Link explico como efetuar o teste de PH

Os condicionares auxiliam na qualidade da água (Cloro, Metais Pesados etc) que são ofensivos aos peixes, esses condicionares eliminam tais metais, tornando a água em condições perfeitas para o novo habitante.

O termostato serve para controlar a temperatura da água, no caso do Beta, a temperatura ideal fica entre 26º e 27º. Em dias mais frios, ele mantem tal temperatura, evitando doenças como já citadas aqui.

Lembrando que, o aquário de 40L já pode ser considerado um aquário que passa por ciclos, que sofre alterações biológicas e que deve respeitar alguns procedimentos, como por exemplo, a ciclagem. Portanto, nem pense em “jogar” nenhuma espécie na primeira semana.

Caso seja uma escolha própria, ou seja, partiu de você ou de alguém da sua família criar, aconselho, de verdade, um aquário de 80 Litros.
Com este aquário, você consegue tranquilamente colocar as espécies mais comuns do mercado (Acarás, Coridoras, Paulistinhas, Neon etc etc etc);
O procedimento de montagem é o mesmo (Respeitando o novo tamanho), você terá um aquário maior, vai conseguir dimensiona-lo, caso não consiga limpá-lo em uma determinada semana, o próprio sistema e a própria biologia conseguirá te ajudar na manutenção. Com um sistema bem equilibrado, seu animal poderá ficar até dois dias sem precisar ser alimentado (As vezes aquela viagem de emergência que sempre acontece), isso não serve como desculpa para outros casos, claro!

Portanto, neste caso, quanto maior, melhor! Enquanto num aquário de 10 litros, você de fato precisará desmontá-lo inteiro. Num aquário um pouco maior não, você simplesmente fará manutenções periódicas.

Então, fica aqui a dica e até breve.

Carlos Roberto.

QOTSA […Like Clockwork]

Art_cover

Se tem uma coisa que as últimas duas décadas que vivemos trouxe, foi a integração entre gerações. Por quê ? Leia a parada ai…

Quem não conhece Queens of The Stone Age ? Essa pergunta para qualquer pessoa de 20 e poucos anos é simples, mas, e para um jovem de 15 anos ?

Digo isso, porque sabia da existência do …Like Clockwork (2013), mas, ainda não havia escutado. A “chamada” veio de um amigo de um sobrinho (por consideração) que eu tenho, que me disse: – Você precisa ouvir este CD !

Ouvi o CD e com certeza o moleque (Yuri – 17 anos – aspirante a guitarrista) tinha razão, um disco que foge desse emaranhado musical tosco que vivemos.

Nem vou comentar sobre a banda, porque nem precisa. Fiquei contente pelo fato do disco existir, e também em saber que tem uma juventude por ai curtindo música de verdade. Eu, nos meus 17 anos, até recebia umas dicas sobre Rock, do meu Tio Mauro e seu irmão João (Este por sinal era detentor de um belo acervo de discos de Rock em Mongaguá – SP). Mas, ir atrás mesmo, era sempre da galera 5 ou 6 anos mais velha.

Portanto, fica a dica: Queens Of The Stone Age – …Like Clockwork

Vamos à TrackList:

1. Keep Your Eyes Peeled
2. I Sat By The Ocean
3. The Vampyre of Time and Memory
4. If I Had A Tail
5. My God Is The Sun
6. Kalopsia
7. Fairweather Friends
8. Smooth Sailing
9. I Appear Missing
10. …Like Clockwork

 

[Vapt Vupt!] Processador de Luz

Já imaginou um processador que efetua suas rotinas por feches de luz ? A universidade de Bristol (Inglaterra) desenvolveu e já criou o seu primeiro processador com essa capacidade.

Além de abrir uma nova fronteira na era dos processadores, o Processador de Luz auxiliará o avanço na computação quântica, facilitará os desenvolvedores a criar plataformas mais rapidamente, e diminuir ainda mais

Leia mais Aqui.

A Pedra Madeira em aquários…

crab

A Pedra Madeira ou Pedra Mel (aquela que sempre usamos pra enfeitar os retoques de nossas casas), é de fato uma bela pedra, mas, pode causar dores de cabeça dentro do aquário, entenda por quê…

A Pedra madeira não altera o PH, a dureza da Água (GH), serve para montar grutas, auxilia em aquários plantados, ou seja, ajuda na estética em geral. Mas é uma grande vilã, pois sua composição vem do quartzo e, quando manipulada ou até mesmo em um ambiente com uma bela movimentação da água (Aquários de “Jumbos” é um ótimo exemplo), ela simplesmente esfarela !!

– Ok, e onde está o vilão ai ? Ela esfarela e vai pro fundo e pronto !

A resposta é óbvia e verdadeira, mas, você já viu como fica o filtro e suas engrenagens (Principalmente o Impeller) ?

Assim como aquários com areia fina de fundo, a manutenção em ambientes deste tipo deve ser redobrado e sempre observando o comportamento principalmente das bombas. Uma breve exceção à aquários com SUMP, que pode ser projetado um overflow para tratar isso. Agora, em situações como Hang On e Canister, uma manutenção, pelo menos no Impeller da bomba é fundamental.

Na imagem acima, um de meus aquários com dois belos exemplares de caranguejos Uca SP em cima de uma grande pedra mel ou pedra madeira.

Lembrando que este post também está disponível em www.canaldoaquario.com.br

Dúvidas ? Dicas ? Sugestões ? Keep in touch !

Forte Abraço !

Álbum da Semana – Combo : Radiohead [OK Computer, The Bends]

OkcomputerTheBends

Comemorando meus 32 anos neste 18 de Maio de 2015 (Medo), deixo aqui um combo de discos que mais gosto de ouvir, Radiohead – OK Computer e The Bends.
Obs.: Só não coloquei o Pablo Honey, pra não deixar o post enorme.
Eu sei que muitos vão achar que essa foi moleza, porque o OK foi eleito o melhor disco da banda, mas, resolvi escolher estes dois discos por causa de algumas faixas. Vamos lá:

Subterranean Homesick Alien > Temos uma boa história aqui. Quando trabalhava com meu grande amigo Rafael e seu irmão Bruno, costumava ouvir essa música e acabava por “vazar” o dedilhado de guitarra, dedilhado este que o Sr. Rafael não gostava (na verdade, ele não gosta de Radiohead).

Karma Police > Quando moleque, passava direto o clipe de karma Police na MTV, e sempre me chamava a atenção.

Fake Plastic Trees > Essa música, talvez foi a primeira que eu ouvi do Radiohead, quando estourou eu tinha uns 12 anos de idade (quando comecei de fato à ouvir rock), ela tocava em uma propaganda da Motorola, sem produto atrelado, mesmo que naquela época o que a motorola mais vendia eram pagers(bip).

High and Dry > Nem preciso explicar, talvez o som que mais tocou na rádio, toca muito até hoje.

Bom, em resumo é isso. Agora, vamos à tracklist:

[OK Computer]

1. “Airbag”
2. “Paranoid Android”
3. “Subterranean Homesick Alien”
4. “Exit Music (For a Film)”
5. “Let Down”
6. “Karma Police”
7. “Fitter Happier”
8. “Electioneering”
9. “Climbing Up the Walls”
10. “No Surprises”
11. “Lucky”
12. “The Tourist”

[The Bends]

1. “Planet Telex”
2. “The Bends”
3. “High and Dry”
4. “Fake Plastic Trees”
5. “Bones”
6. “(Nice Dream)”
7. “Just”
8. “My Iron Lung”
9. “Bullet Proof … I Wish I Was”
10. “Black Star”
11. “Sulk”
12. “Street Spirit (Fade Out)”