[Aquário] Itens hilários dos Anos 90

Nesses meus 20 anos como aquarista (vale lembrar que fiquei 5 anos sem aquários, mas, participando assiduamente dos fóruns) me despertou uma vontade de colocar alguns itens que vivência em tal hobby, desde filtros até termostato com aquecedor e, sim, todos vendidos como produto de grandes marcas.

1. Termostato com Aquecedor Externo

termostado
Acredita que existia (ou ainda existe??) um termostato com uma saída que era ligada num aquecedor areia ? Sim ! Basicamente, era um termômetro que, quando em uma temperatura ajustada (igual o termostato) ligava um aquecedor. A vantagem é que você podia trocar o aquecedor caso trocasse de aquário, mas, hoje vejo isso de forma engraçada. A foto mostra uma termostato, não achei um igual, mas, considere este sem a resistência de aquecimento e com uma extensão com fio para tomadas 110/220V;

 

2. Filtro Hang On a base de compressor de ar e pedra porosa
hangON
Calma ! É isso mesmo ! Você chega na loja e, ao invés de comprar um hang on com uma moto bomba, você comprava apenas a estrutura de acrílico no mesmo formato e poderia usar seu compressor e pedra porosa para tal, a pedra porosa ficava dentro do captador de água (ponta dentro do aquário). Assim a água subia até a queda para o Hang On. Lógico, não filtrava nem 1/3 igual os caríssimos filtros do meio dos anos 90 (Um Emperor 400 por exemplo custava mais R$ 400,00 em 1996 !!), mas, era uma alternativa mais acessível para os iniciantes. Eu mesmo tive um;

3. XAXIM para acidificar a água

Acidificante ? Troncos de aroeira ? BUFFER ? Olha, BUFFER nem pensar ! Praticamente não existia aqui no Brasil (No mundo ??) até o final dos anos 90 (ou pelo menos eu praticamente não conhecia). Troncos eram complicados, pois haviam vários tabus (sujar, fungos, tronco tratado ou não, caro, tamanho ocupava muito a litragem etc). O acidificante é um tamponador, e é impossível manter um ou mais de um aquário com um tamponador ácido ou alcalino. Lembro de medir e até ver meu primo medindo PH, e caso estivesse 6.9 ao invés de 6.8, rolava aquele esguichada (Gosh !). Eis, que não sei de onde, recebi a informação de inserir XAXIM no aquário, pois, como eles tem a mesma procedência de troncos e pouca informação da minha parte, deixaria a água ácida. De fato não lembro se dava certo. Hoje, até onde sei, a venda de XAXIM é proibida.

4. Filtro Biológico de Fundo (FBF)

De cada 10 aquários, uns 8 tinham essa placa que as lojas cismavam em empurrar para nós. Hoje, se pensar, lá no fundo do seu consciente em montar um filtro assim, é vergonha alheia na lata !! Mas, eu já usei bem la no começo e, quando comecei a estudar mais à respeito parei na hora !

Vou tentar lembrar de mais alguns e vou postando. Se você souber de algum caso horrendo, deixe nos comentários, que eu agrego a lista.

[Aquário] Quanto menor melhor ?

-molinesias-02

Foto acima: Molinésia (O famoso peixinho dourado e sempre presente nos primeiros aquários…)

Uma das maiores ciladas que podemos nos deparar no mundo dos aquários é essa frase: “Vou montar um aquário, mas, quanto menor ele for, melhor…fica mais fácil de limpar…”;
Nem sempre um aquário de pequeno porte trará facilidades para o criador, muito pelo contrário, se num aquário maior e bem projetado você pode, por exemplo, ficar até duas semanas sem fazer uma TPA (Troca Parcial de Água), sifonar o fundo, limpar os elementos filtrantes, em um aquário, de por exemplo, 10 Litros, você precisaria efetuar tais manutenções de até 3 vezes por semana.

Em uma determinada época, cheguei a ter quatro aquários em casa (O menor tinha 100 Litros). Meus amigos e familiares chegavam e falavam “Meu deus, você deve ficar o dia inteiro limpando esses aquários…”, imaginando eu desmontando todos, limpando, passando peixe pra cá e pra lá…Isso eu faria se tivesse quatro carros kkkk.

E qual o tamanho ideal para começar ?

Geralmente quando pretendemos montar um aquário, a primeira dúvida que surge é o que colocar e o que criar. Ou então, como aconteceu comigo algumas vezes este ano, é o Pai ou a Mãe tentando estimular seu filho a criar algum bicho de estimação, afinal isso ajuda a criança em diversas áreas de desenvolvimento.
As vezes também, a própria criança toma partido e pede para os pais, ou então aparece com uma “beteira” ou algo do tipo que ganhou na escola ou de alguma festa do(a) amiguinho(a).

No caso dessas “heranças”, geralmente a criança, ou até mesmo nós adultos ganhamos Beta, pois não precisam de bombas e procedimentos mais elaborados (Veja o porquê disso aqui).
A dica é: Passar em uma loja e comprar, pelo menos, um aquário maior. Pois sabemos que eles sempre chegam em “beteiras” minúsculas, as vezes o animal fica estático e mal consegue se mexer.
Já que estamos na loja, vamos gastar um pouco mais e já montar o kit do primeiro aquário?

Um kit básico, envolve alguns itens primordiais para o primeiro aquário, vamos lá:

  • Aquário: No mínimo um de 40 Litros (Ex.: 30cm (Cumprimento) x 40cm (Altura) x 30cm (Largura));
  • Teste de PH;
  • Tamponador ácido ou alcalino (Acidificante – Alcalinizante)
  • Condicionadores de Água (Exemplo: AquaSafe);
  • Um pequeno Termostato (Aquecedor) para dias mais frios;
  • Um Pequeno filtro (Dica sobre filtros Aqui);
  • 5 à 7 KG de pedra de Rio;
  • Alguns enfeites são bem vindos, mas, sem exagero;

O PH é o potencial da água em ser ácida, alcalina ou neutra. Sendo assim, o teste irá auxiliar em saber como está a sua água. Isso serve para a água ser compatível com a espécie que você pretende criar. Com relação ao Beta, este vive em água neutra (pH 7.0). Neste Link explico como efetuar o teste de PH

Os condicionares auxiliam na qualidade da água (Cloro, Metais Pesados etc) que são ofensivos aos peixes, esses condicionares eliminam tais metais, tornando a água em condições perfeitas para o novo habitante.

O termostato serve para controlar a temperatura da água, no caso do Beta, a temperatura ideal fica entre 26º e 27º. Em dias mais frios, ele mantem tal temperatura, evitando doenças como já citadas aqui.

Lembrando que, o aquário de 40L já pode ser considerado um aquário que passa por ciclos, que sofre alterações biológicas e que deve respeitar alguns procedimentos, como por exemplo, a ciclagem. Portanto, nem pense em “jogar” nenhuma espécie na primeira semana.

Caso seja uma escolha própria, ou seja, partiu de você ou de alguém da sua família criar, aconselho, de verdade, um aquário de 80 Litros.
Com este aquário, você consegue tranquilamente colocar as espécies mais comuns do mercado (Acarás, Coridoras, Paulistinhas, Neon etc etc etc);
O procedimento de montagem é o mesmo (Respeitando o novo tamanho), você terá um aquário maior, vai conseguir dimensiona-lo, caso não consiga limpá-lo em uma determinada semana, o próprio sistema e a própria biologia conseguirá te ajudar na manutenção. Com um sistema bem equilibrado, seu animal poderá ficar até dois dias sem precisar ser alimentado (As vezes aquela viagem de emergência que sempre acontece), isso não serve como desculpa para outros casos, claro!

Portanto, neste caso, quanto maior, melhor! Enquanto num aquário de 10 litros, você de fato precisará desmontá-lo inteiro. Num aquário um pouco maior não, você simplesmente fará manutenções periódicas.

Então, fica aqui a dica e até breve.

Carlos Roberto.

A Pedra Madeira em aquários…

crab

A Pedra Madeira ou Pedra Mel (aquela que sempre usamos pra enfeitar os retoques de nossas casas), é de fato uma bela pedra, mas, pode causar dores de cabeça dentro do aquário, entenda por quê…

A Pedra madeira não altera o PH, a dureza da Água (GH), serve para montar grutas, auxilia em aquários plantados, ou seja, ajuda na estética em geral. Mas é uma grande vilã, pois sua composição vem do quartzo e, quando manipulada ou até mesmo em um ambiente com uma bela movimentação da água (Aquários de “Jumbos” é um ótimo exemplo), ela simplesmente esfarela !!

– Ok, e onde está o vilão ai ? Ela esfarela e vai pro fundo e pronto !

A resposta é óbvia e verdadeira, mas, você já viu como fica o filtro e suas engrenagens (Principalmente o Impeller) ?

Assim como aquários com areia fina de fundo, a manutenção em ambientes deste tipo deve ser redobrado e sempre observando o comportamento principalmente das bombas. Uma breve exceção à aquários com SUMP, que pode ser projetado um overflow para tratar isso. Agora, em situações como Hang On e Canister, uma manutenção, pelo menos no Impeller da bomba é fundamental.

Na imagem acima, um de meus aquários com dois belos exemplares de caranguejos Uca SP em cima de uma grande pedra mel ou pedra madeira.

Lembrando que este post também está disponível em www.canaldoaquario.com.br

Dúvidas ? Dicas ? Sugestões ? Keep in touch !

Forte Abraço !

[Aquário] Canal do Aquário

logo_blog

Galera, pra acrescentar mais conteúdo sobre o mundo dos aquários, eu, em parceria com meu amigo aquariofilista Lincoln Pires, criamos um canal sobre o tema, chamado Canal do Aquário (CDA).

Este canal, que além do blog, terá também conteúdo no Youtube e Facebook, tem como foco auxiliar quem está começando, e também agregar conhecimento pra quem visita e para os amigos deste hobby.

Espero vocês lá !!

[Aquário] A temperatura ideal….

term

Quanto tempo, não ?!
Realmente, a correria está demais ! Mas vou tentar me dedicar mais nos textos.

Meses atrás, conversando com alguns amigos aquariofilistas, entramos num tópico muito interessante, a temperatura ideal do aquário.
Você já parou pra pensar se a temperatura do seu “aqua” está de acordo com os habitantes do mesmo ? Não !! Você tem um problema, amigão !

Quando estamos montando ou já com o aquário pós ciclagem, populado com os habitantes que queremos, acabamos relaxando em alguns aspectos, muitas vezes deixamos a responsabilidade inteira no termostato ou, deixamos o aquário numa temperatura incompatível.

No meu caso, aquariofilista de água doce, procuro manter a temperatura entre 24°C e 28°C , no caso de aquários marinhos, a média é entre 24°C e 26°. Já tive espécies como Acará Disco, Acará Bandeira, Ramirezi, Rasbora, Borboletas, Coridoras, Paulistinhas, Neon Cardinal e Negro etc. Todos criados perfeitamente neste ambiente.

Se deixamos um aquário com espécies citadas acima em uma temperatura inferior à 23°C como exemplo, teremos problemas com ictios e bactérias que se desenvolvem em águas mais frias, se deixamos a temperatura acima dos 28°C, teremos um ambiente propicio à queima rápida de oxigênio e amônia mais abundante, explico:

Quando temos uma situação, de por exemplo 30°C ~32°C, o oxigênio da água tem mais dificuldade de ser dissolvido, causando um efeito sanfona no aquário, com isso, os animais fazem mais esforço para adquirir oxigênio, o metabolismo começa a ficar acelerado, o animal sente mais fome, haverá mais queima de oxigênio e mais gás carbônico disponível, o animal por comer mais, soltará mais dejetos na água, aumentando assim o índice de amônia.
Quando na verdade você acha que os habitantes estão se alimentando bem, eles estão comendo mais, pois estão fazendo mais esforço !!

Lógico que se você tem um sistema de oxigenação melhor do que o ideal, isso dificilmente poderá acontecer, mas, já imaginou se ocorre aquela queda de energia (Bem normal no Brasil) de 4 ou 5 horas ? Com certeza você vai sentir na pele essa teoria.

Por isso, sempre comento este “range” de temperatura, por ser segura para a maioria das espécies vendidas por ai.
Mesmo em tanques e aquários que não possuem sistemas para manter a temperatura, por serem enormes, o próprio ambiente colabora para isso, ou seja, a volumetria de água fica estável por si só.

E para finalizar, no mês de Maio/2015, completo 20 anos criando peixes de água doce e aprendendo sobre eles até hoje. Portanto, pretendo montar um top 10 ou 20 com as espécies que criei neste período, com posts no Instagram, com um link aqui para o site. Fiquem de olho !!

[  ]’s

Carlos Roberto.

Qual filtro utilizar?

Quando estamos projetando um aquário, independente do porte, uma das primeiras perguntas que surgem é: “Qual tipo de filtragem devo usar ?”.

Essa pergunta, para os mais experientes é simples, mas, para os mais novatos é uma dor de cabeça enorme, devido à diferença de valores, dimensões, funcionamento etc entre eles.
Hoje em dia, o mercado de aquários é enorme, temos diversos tipos de filtros e mídias filtrantes, vamos à algumas:

  • Hang On

hangON

  • Sump ou Dry Wet

sump

  • Canister

unimax_500_plus_eu_b2

 

  • Filtros Internos

filtro_interno

Mas como funciona cada um? e em qual cenário devo utilizá-los?
Vamos montar 4 cenários: Aquário Plantado, Ciclídios Africanos, Comunitários e Peixes Primitivos ou de Grande Porte.

Antes de iniciarmos os cenários, quero ressaltar que a diferença entre SUMP e dry wet é que o SUMP fica embaixo do aquário, o Dry Wet é colado ou encostado nas costas do aquário. O que muda? Basicamente: vasão da bomba, manutenção do filtro e mídias, espaço maior na largura do móvel ou algo do tipo e mais alguns itens.

Os plantados são os mais exigentes, devido à matriz PH x Temperatura x Índices de Nitrato/Amônia x CO2 x Iluminação e claro a própria filtragem;
Com essa matriz, conseguimos determinar o filtro ideal, um aquário plantado não pode perder taxa de injeção de CO2, com isso a circulação de água entre o filtro e o aquário deve ser o mais compacto possível, ou seja, a água deve sair e entrar no aquário sem muito contato com partes externas, para evitar a fuga do CO2.
Sabemos que o canister cumpre bem este papel, ele possui duas mangueiras e uma central de filtragem selada, além de ter mídias filtrantes ideais para este cenário. Mas, o canister é um dos mecanismos filtrantes mais caros do mercado, passando de R$ 2.000,00 dependendo do tamanho do aquário e da autonomia de filtragem. Pra quem tem um aquário de até 100 litros nominais, um canister ideal fica em tornos de R$ 600,00, o que já fica mais acessível e se equipara com os demais filtros.

Deixa essa “estória” de plantados pra lá! Meu negócio mesmo sãos os ciclídeos africanos.
No caso do aquário de ciclídeos africanos já é mais tranquilo, a exigência na matriz é menos rigorosa: PH x Temperatura x Nitrato/Amônia, lógico que a atenção não pode ser menor.
A filtragem neste caso, deve ser levado em consideração pelo tamanho do aquário. Ou seja, se for um aquário muito grande (>500L) não compensa comprar um canister ou encher o mesmo de Hang On, um SUMP seria ideal. De repente, um sump com 20% (100L) da litragem nominal do aquário é ideal para este cenário, lembrando que um SUMP não é nada sem uma boa bomba para devolver a água filtrada. Vale lembrar também, que uma filtragem ideal é, no mínimo 3x(três vezes) a quantidade nominal, para um aquário de 500L, por exemplo, a bomba deve devolver no mínimo 1.500L/h.
Para ambientes menores, um filtro interno, Hang On ou Canister resolvem tranquilamente.

E nos comunitários, como fica?
Este ambiente é o mais complicado dos demais, por quê? É muito normal, as pessoas que estão iniciando, colocarem diversas espécies (PH, Temperatura etc) incompatíveis nas primeiras montagens. E neste caso, os filtros são fundamentais. Eu sinceramente acho que FishKeepers de fato não montam comunitários, e caso façam isso, com certeza, a compatibilidade é maior.
Então, no caso dos mais novatos, aconselho começar com aquários menores, com filtros hang on, espécies menores e com faixas de PH, por exemplo, começando com espécies mais tranquilas (barbus, paulistinha, lips, sumatras etc) com uma faixa de PH/temperatura tranquila de manter, com uma filtragem basicamente com mídias de perlon, carvão ativado até decidir e se aprofundar mais num determinado cenário. Não comece com filtros específicos como canister, porque de repente no futuro não será o filtro ideal.

Peixes Primitivos ou Jumbos (Aquário ou Tanques Externos)
Neste caso, se prepare para o investimento (não só dos filtros). Essas espécies geralmente ficam enormes, uma aruanã por exemplo, chega facilmente à 1m (1 Metro), e exigem aquários ou tanques bem generosos, além do que, essas espécies em sua maioria são territorialistas, geralmente nadam muito rapidamente e fazem muita, mas, muita sujeira.
Filtragem ideal? Com certeza o SUMP, muitas mídias filtrantes, se for em tanque, use filtro UV para erradicar filamentos de alga, para auxiliar, belos cascudos para ajudar na limpeza.

Espero ter ajudado neste pequeno resumo de filtragem.

As TAGS serão, respectivamente, representadas por uma espécie de cada cenário (Plantado, Ciclídeos Africanos, Comunitários e Jumbos/Primitivos)

TAGS:

Acará Disco, O Majestoso das águas doce.

fotos-do-acara-disco

Jack Dempsey, um dos mais belos dos ciclídeos africanos

NYX

Kinguios, um dos primeiros a popularem os comunitários

kinguio-cursos-cpt

Aruanã, pode chegar à 1,20m

aruana

 

 

Ictio, O Vilão!

IMG_0114Um mês atrás, percebi que meus dois Oscars (Apaiari) estavam apáticos e meio jogados de canto, coisa muito atípica para essa espécie. O problema? Superlotação e Ictio!

O Ictio pode surgir no aquário por vários motivos, dois deles pode ser a temperatura da água muita baixa e a qualidade da água, que consequentemente prejudica a imunidade do peixe. O Ictio é um fungo facilmente identificado, parece bolinhas de algodão e ficam expostos externamente no corpo do animal.

A temperatura do meu aquário sempre foi estável, devido ao termostato e o sistema de monitoramento que estou desenvolvendo, este por sua vez monitora a temperatura e mais alguns itens (bombas, Filtros, Luminárias etc), que pode ser visualizado pelo site ou pelos tweets que ele faz de hora em hora. Caso ocorra alguma anormalidade, o sistema entra em ação ou eu faço algum procedimento remotamente. Resta então a qualidade da água, que por sua vez não estava lá aquelas coisas, junto com os dois Oscars, haviam três Tilapias de pequeno porte, que acabaram crescendo, assim como os dois oscars também. Consequência: A qualidade da água foi piorando, o PH foi ficando mais ácido, os níveis de Amônia e Nitrato foram subindo. Como meu sistema ainda não mede o PH, este fiz manualmente, mas, foram duas semanas para conseguir estabilizá-lo.

Tratamento:

O tratamento de ictio é bem tranquilo, mais ainda no caso do Oscar, por ser bem resistente.

  1. Caso seja temperatura baixa (no caso do Oscar, a temperatura ideal é entre 23ºC ~ 26ºC), tente estabilizá-la. E se os habitantes já estiverem com Ictio, deixe 2ºC acima;
  2. Troca parcial de água (TPA) de dois em dois dias, em média 20% do volume do aquário;
  3. Entre uma TPA e outra, adicionar Labcon Aqualife ou qualquer fungicida equivalente – 1 gota para cada 2 litros;
  4. Meça, se possível, duas vezes por dia o PH do aquário e tente manter o PH equivalente ao habitante (Interessante ter em mãos tamponadores ácido e alcalino);
  5. Em aquários plantados, é interessante separar os habitantes com ictio em aquários hospitais;
  6. Na primeira semana de tratamento você vai perceber avanços, principalmente na coloração e alimentação;
  7. Com o sumiço do ictio, pare de tratar com aqualife, aumente o tempo de TPA, sempre acompanhado com Aquasafe

Este passo à passo, ajudará no tratamento. Vale lembrar que dependendo dos habitantes, por exemplo: Acará Discos, Neon Cardinal, Borboletas, o tratamento deve ter muito mais cautela, por serem peixes extremamente sensíveis.

Hoje, as Tilapias foram para um lago. Meus dois Oscars continuam no aquário de 250L (sim, pequeno!), mas, já estou planejando uma casa maior.

Espero ter ajudado de alguma forma com essa dica de hoje.

Forte abraço!

O que é Aquariofilia?

aquarismo ou aquariofilia é a prática de criar peixes, plantas e outros organismos aquáticos, em recipientes de vidro, acrílico ou plástico conhecidos como aquários, ou em tanques naturais ou artificiais para fim ornamental ou de estudo, distinguindo-se assim essa atividade da piscicultura ou aquacultura, que têm aspectos de produção.

O aquarismo, assim como o paisagismo, é uma atividade que combina uma demanda por senso estético e conhecimentos técnicos diversos, como biologia básica (ciclo do nitrogênio), química básica (pH) e outros.

Fonte: Wikipédia